As intervenções urbanas de Mark Jenkins

28 março, 2015 Deixe um comentário

Mark Jenkins (nascido em 1970, Fairfax, Virgínia) é um artista americano conhecido por seus trabalhos no estilo Arte Urbana (Intervenção), que consiste basicamente, através de muito bom humor e criatividade, na criação de instalações que venham de desencontro as rotinas do dia a dia moderno das pessoas que habitam as grandes metrópoles, gerando nelas o desconforto e a curiosidade para com aquilo que se deparam. Jenkins utilza-se dos mais variados materiais possíveis para elaboração das suas instalações, porém, dentre eles destacam-se as roupas utilizadas nos manequins forjados e o plástico utilizado para seus respectivos preenchimentos:

xmarkjenkinsx 24

xmarkjenkinsx 19

~ Mais imagens no site do artista. Texto de Bronx1985. Indicação do Stumble.

ACME (c)

28 março, 2015 Deixe um comentário

A marca ACME é uma das mais famosas do mundo. Seu consumidor mais fiel é provavelmente o Coyote, que faz de tudo para pegar o Papa-Léguas (Beep! Beep!) usando quase tudo do Catálogo da ACME Corporation Mail Orders. São terremotos em pílulas, caixinhas de alpiste-explosivo, fantasias de cactus, ratoeiras e estilingues gigantes, e claro, bigornas. O que eu não sabia (ah, a internet…) é que a ACME não é uma criação da Looney Tunes. Surgiu na década de 20, quando foram lançados os primeiros Catálogos Telefônicos e muitas empresas começaram colocar nomes começando com a letra “A” em seus produtos. ACME acabou virando sinônimo de produto genérico. Ouch.

Eu poderia traduzir os anúncios, mas acho que isso tiraria o encanto. Use sua criatividade, assim como o Coyote!

~ O texto eu copiei do Update or Die!; agora, as imagens?! Bem, essas eu nem me lembro da’onde consegui.

Procura-se

28 março, 2015 Deixe um comentário

Entre muitas heranças, o faroeste americano deixou como legado a busca por pessoas através de cartazes pregados em postes e estabelecimentos. Hoje em dia os órgãos responsáveis não saem mais colando cartazes de recompensa em qualquer esquina, publicam na internet, como a Interpol.

Por outro lado, estamos nos acostumando a criar nossos próprios anúncios oferecendo/procurando serviços, vendendo coisas ou apenas exercitando nossa criatividade.

Abaixo veja alguns exemplos bem legais desse tipo de cartaz que foram pregados em uma cidade na Alemanha por um sujeito bem maluco chamado Phil Jones. Se alguém descobrir mais sobre ele, por favor nos avise. Não há recompensa.

Phil Jones #1

SOCORRO!!! Preciso de dinheiro. Estou tentando voltar para a floresta e ficar com a minha família.

Phil Jones #2

PROCURA-SE tartaruga de estimação e matracas. Aparenta ser devagar mas é muito perigoso! Ele retornará para casa, eventualmente, mas o criminosos devem tomar cuidado.

Phil Jones #3

Todas as vezes que você usa essa fonte um designer “perde suas asas” (criatividade).

Phil Jones #4

TELECINESE. Grupo de apoio.

Phil Jones #5

PROCURA-SE bombeiro com experiência ou professor de natação.

Phil Jones #6

Procuro por um instrutor forte. Se você não conseguir tirar um pedaço desta lista telefônica, nem tente me contatar.

Phil Jones #7

Perdi 8 pequenos pedaços de papel com minhas informações de contato impressas.

~ Achei no site do Update or Die (mas o link não existe mais, esse rascunho é de 2011), texto do Ócio Criativo.

Sempre a postos

4 janeiro, 2015 Deixe um comentário

03_shaolin1

Comentário do autor:

MONGE SHAOLIN: Sempre a postos

Esta citação já foi atribuída a tanta gente que preferi colocar ‘Forças Armadas’ por segurança. Já disseram que é de George Patton e que é o lema da Marinha (não é), mas não achei uma fonte confiável o suficiente para usar no cartum. Se alguém sabe quem foi a primeira pessoa que disse, me avise. É óbvio que esta frase é famosa entre militares e praticantes de artes marciais, mas se aplica a qualquer pessoa.

É o primeiro cartum em que usei Monge Shaolin do logo da Lápis Zen, e acho que de tempos em tempos ele pode aparecer em várias citações. Quando eu era garoto, eu tinha (ah, vai enganar outro, até hoje eu tenho) obsessão por qualquer coisa relacionada a kung fu, samurai e principalmente ninjas (putz, quem é que não gosta de ninjas?), por isso essa citação é perfeita para demonstrar meu amor por artistas marciais que chutam bundas.

~ Zen Pencils traduzido por Outros Quadrinhos.

 

10 coisas que você deveria desejar nesse começo de ano

4 janeiro, 2015 Deixe um comentário

Muito dinheiro no bolso e saúde para dar e vender! O brinde-jingle-de-ano-novo é aquele bom e velho clichê no qual mal pensamos, desejamos automaticamente sem entender o que queremos de verdade.

Afinal mesmo com saúde e dinheiro, não ficamos em paz, então eu queria fazer algumas sugestões mais relevantes para sua virada ano:

1. Liberdade interna

Diferente de aumento de espaço físico, viajar para lugares paradisíacos, fazer o que tiver vontade, euforia no meio da estrada ou não receber ordens, a liberdade é um tipo de capacidade de deliberar com o mínimo de condicionamento restritivo.

Uma pessoa que só vive fazendo mochilão pode estar tão asfixiada quanto um funcionário workaholic de multinacional. Alguém que vive praticando o “bem” pode estar tão preso nesse script quanto o bad boy cheio de opinião.

Liberdade parece mais uma habilidade de atravessar aquela tentativa da nossa mente de solidificar a vida num frasquinho de certeza. No ano que começa trabalhe nisso.

2. Desejos mais conscientes

Se você apenas ajoelha e obedece tudo o que passa no campo dos seus desejos então você será refém do consumismo, da sua gula, do egocentrismo, da sua arrogância e até da necessidade compulsiva de ficar pregando a paz na Terra e perdendo os amigos com sua chatice.

Qualquer tipo de desejo, dos mais nobres aos mais imediatistas, se passarem invisíveis ao seu radar consciente levarão você inevitavelmente de objetos em objetos sem parada só para que você fique satisfeito.

O resultado será só mais insatisfação.

3. Capacidade de gerar felicidade

Estar cercado de mimos é até fácil, mas conseguir captar um sorriso genuíno de alguém parece ter um efeito reverberante muito mais poderoso. Essa cadeia de gentilezas e de olhar atento ao caminho do outro cria um ciclo de cafuné coletivo.

O meio ambiente agradece e quem mora na sua casa também.

4. Resiliência para os dias difíceis

O ano certamente trará chances para você se agarrar naquilo que acha que o fará feliz, mas esconde uma dose grande de sofrimento pelo apego. Eu desejo que você consiga perceber que está idolatrando algo mais do que deveria para resistir ao impulso de ficar aprisionado na sua própria alegria e por isso ficar incapaz de usufruir a vida com leveza.

Ao conseguir resistir ao impulso de se fechar numa ideia, lugar ou pessoa, os dias difíceis tendem a ser mais fáceis.

5. Capacidade de negociar com seus próprios desejos

Se eu desejar muito dinheiro no bolso, posso afirmar que nem toda fortuna existente do mundo conseguirá pagar o que seu desejo.

Espero que você não tenha tudo o que deseja e possa ficar bem com isso.

giphy

6. Saber reconhecer os movimentos internos

Quero que você consiga ter um GPS interno para se guiar nas suas rotas pessoais, que consiga não se perder em si mesmo com atitudes impulsivas, reativas e que estejam desconectadas de seus valores internos.

Quero que você saiba mergulhar com mais facilidade para dentro antes de sair desembestado tomando grandes ou pequenas decisões que fecharão seu caminho.

7. Lidar com a incompletude da vida

Desejo que você lide com o fato de que sempre haverá uma dimensão de incompletude na vida. Você só se torna esse poço de inconformação e insatisfação por que ainda tem uma esperança de algum dia isso ser saciado.

Não, não haverá algum momento em que você terá chegado no topo da montanha, não há topo e nem montanha.

8. Parar de sonhar com realidades mágicas

O que é uma realidade mágica? É aquilo que causa angústia só de pensar, por que é muito grande, descolado de qualquer senso de realidade, que carece de qualquer planejamento e está tão fora de sua área de influência que chega a doer.

Espero que você consiga olhar ao redor e consiga reconhecer quanta beleza já existe na sua vida, mesmo essa porção fragmentada, manca, incompleta, estranha e contraditória.

9. Assumir que nada acontece se você não gerenciar o medo

Se você ainda insistir que só uma meta vai salvar sua alma e seu ano, então desejo que aprenda a conviver com o medo constante do fracasso, da perda, do desapontamento, da rejeição e do “quase”.

Se quer garantia absoluta e nenhum medo então você não entendeu nada sobre atingir metas. Aquilo que você acha que deseja mais que tudo só tem essa magnitude pois está fora de sua zona de conforto.

Seu próximo passo já está calculado e pré-aprovado? Espere chegar no final do ano que vem.

10. Parar de achar que as listas são autorrealizáveis

Essa lista não tem o poder de se realizar porque você achou ela incrível ou disse no fundo do seu coração “vou realizar”. Não.

Ela precisa de pequenas doses de treino diário. São posturas mentais, muito mais do que flexões ou abdominais, mas que para terem resultado seguem a mesma disciplina de academia. Só boa vontade não resolve nada.

As perguntas que você deve se fazer, de acordo com essa lista são: eu realmente vou me limitar a isso? O que eu realmente desejo? Eu posso facilitar a vida de alguém? Estou preso ao meu sofrimento? Estou conectado aos meus valores? O que se passa dentro de mim? O que não aceito nessa vida? Estou mirando para muito longe de mim? Posso lidar com esse medo?

~ Frederico Mattos para o Papo de Homem.

Já parou pra pensar no que vai te fazer sofrer em 2015?

31 dezembro, 2014 Deixe um comentário

No final do ano passado eu escrevi um texto, desses que a gente faz pensando em como andou a vida.

Foi um pequeno apanhado do que passava pela minha cabeça e como eu me sentia em relação aos planos e promessas que estava fazendo pra mim mesmo naquele momento.

Agora, um ano depois, vejo que o raciocínio ainda se aplica.

Como fiz o exercício de voltar a esse texto, venho humildemente sugerir que você também olhe de novo (basta trocar as datas onde for necessário) e pense em tudo o que você sofreu tentando ser feliz, atingir sonhos, metas e objetivos.

Enquanto a gente segue nesse modus operandi, eu também vou junto, com uma pequena esperança de que a gente se libere desse ciclo.

Feliz 2015!

* * *

O ano, como as pessoas, têm seu momento de senilidade, quando o futuro é curto e o fim é inevitável.

2014 está nessa fase.

Seus últimos dias se aproximando e o hábito de fazer checagens ficando cada vez mais urgente. É quando a gente olha pra trás e começa a perceber que não emagreceu os quilos que prometeu, que a academia foi ficando pra depois, que não produziu os textos que queria, não conseguiu ler mais, nem ver filmes, muito menos viajar.

O tempo, esse danado, foi passando e não deu a mínima aos planos. Enquanto seguimos fazendo o que de mais urgente aparece na nossa frente, nossas ambições de melhoria da vida vão sendo deixadas de lado.

Além de mim e de você, quantas outras pessoas não devem ter passado pelo mesmo?

Talvez, o chefe escroto tenha prometido pegar mais leve. Talvez, alguém próximo tenha prometido assumir a responsabilidade sobre as próprias falhas, ao invés de colocar a culpa em alguém. Talvez, o casamento tenha sido foco da promessa de alguma das partes: “agora vai”!

542287_339560619425315_261705443877500_904880_648185882_n

Existe uma lição para ser aprendida aqui. Mas eu não sei o que é…

 

Mas nem tudo é desastre, nem tudo é catástrofe. Às vezes as coisas dão certo.

Um filho pode ter nascido. Um casamento pode ter se feito com uma bela cerimônia. Muitos amigos podem ter sido visitados. Ou, quem sabe, até aquelas promessas mais bobas que a gente nunca cumpre podem ter sido levadas a cabo, até o fim. Empregos, carros, casas novas, mudanças. Você pode ter conhecido alguém que fez esse coraçãozinho bobo sacolejar no peito. Sim, bons desfechos podem ter ocorrido.

Mas, também devemos lançar um olhar mais sincero a essas histórias que vamos contar sobre o ano que vai nos deixando. Sabemos que cada felicidadezinha, cada pequena vitória, cada suspiro de alívio vem acompanhado de algumas gotas de suor escorrendo pela testa. A gente sofre tentando ser feliz.

É aí que a gente começa a se ver repetindo aquilo que fez no começo do ano e as promessas de 2014 se transformam nas promessas de 2015. Afinal, é uma nova chance que surge.

Nada mais justo do que tentar outra vez.

Mas, aqui, queria propor um lembrete, para antes de girarmos novamente a roda do tempo.

Já parou pra pensar que as suas apostas e promessas serão as razões pelas quais você vai sofrer em 2015?

Luciano Ribeiro para o Papo de Homem.

CategoriasArtigos Tags:, , , ,

Você se lembra de tudo o que aconteceu em 2014?

28 dezembro, 2014 Deixe um comentário

Com o fim do ano, vários vídeos de retrospectiva surgem por aí. Afinal, embora o ano “tenha passado rápido” – frase que mais se escuta em elevadores e em salas de espera em dezembro –, há fatos relevantes que aconteceram em 2014 dos quais você nem se lembra mais. E se a memória nem sempre ajuda, imagine como é a retrospectiva de quem sofre com doenças neuro-degenerativas.

Em uma campanha simplesmente genial e no melhor estilo Google Zeitgeist (o resumo do ano feito pela Google), o vídeo abaixo vai deixar você com a pulga atrás da orelha desde o primeiro segundo, para deixar você estupefato no último. Apenas dê o play e bata palmas para os holandeses na N=5, responsáveis pela campanha.


~ Hypeness.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 109 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: