De quanta terra precisa um homem?


Nesse conto de Leon Tolstoy, um rico camponês chamado Pahom ouve falar das boas terras do país dos Bashkins, para lá do Volga. São pessoas simples e ele pensa que irá conseguir obter deles toda a terra que desejar sem qualquer espécie de problemas.

Quando Pahom chega ao país dos Bashkins, estes dizem-lhe que, por mil rublos, poderá ter toda a terra a que conseguir dar a volta ao longo de um dia. Pahom fica exultante e despreza-os pela sua falta de sofisticação. Está convencido de que conseguirá cobrir uma grande distância. Contudo, logo depois da partida, começa e deparar-se com áreas interessantes que decide incluir, um lago aqui, ou uma faixa de terra especialmente apropriada para cultivar linho. Depois, de repente, repara que o Sol já está a descer. Percebendo que corre o risco de perder tudo, corre cada vez mais depressa para conseguir chegar a tempo. “Fui demasiado ambicioso”, diz para si mesmo, “e arruinei todo o negócio”. O esforço mata-o. Morre junto ao poste de chegada e foi aí que o enterraram.

“Um metro e oitenta, da cabeça aos pés; era toda a terra de que necessitava”, foi a conclusão de Tolstoi.

Fonte: Lambaritalia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s