Lua de mel inusitada

Huma-Mobin-na-Grécia-1-479x479

Nada pode ser mais romântico que uma lua de mel e pouquíssimos lugares são mais românticos do que a Grécia. Então, a combinação desses dois pontos só poderia ser maravilhosa, né? Só que não.

Huma Mobin e Arsalaan Sever Bhatt, que são de Lahore, no Paquistão, planejaram a lua de mel, porém o marido não conseguiu o visto para entrar na Grécia e Huma teve que ir sozinha para a viagem romântica.

Apesar de pensar em desistir no começo, a noiva acabou indo e fez da situação triste uma diversão, tirando fotos hilárias como se o marido estivesse lá:

Huma-Mobin-na-Grécia-9-484x479

Huma-Mobin-na-Grécia-7-479x479

Huma-Mobin-na-Grécia-2-479x479

~ Nathalia Salvado para o Vírgula.

Contos mal contados

De vez em quando a gente se depara com páginas no Facebook, Tumblr ou Pinterest que se tornam um alento pra nossa alma. Pessoas que expõe sua alma de forma digital e conseguem alcançar o mundo inteiro com o alcance de um clique do mouse. Confesso que não são fáceis de encontrar. E é isso que as torna um verdadeiro tesouro.

Contos Mal Contados é uma página de poesias, contos e curtas histórias criada por João Pedro Doederlein, que se auto-denomina “um poeta que nasceu da necessidade, não da simples opção”. Ele e mais outras talentosas escritoras acrescentam a esse lindo portfólio imagens e escritos que tocam fundo dentro dos nossos coraçãozinhos, que mais se parecem com cebolas cheias de camadas.

Particularmente, o que mais me chamou atenção no seu trabalho foram uma série de definições dadas à palavras eventualmente banais, mas que se tornam recheadas de significados, como um dicionário mais humano e menos racional das coisas.

12977257_1099971540065425_3653953044076704494_o

12968133_1096751090387470_5604210799979457611_o

13131117_1111285098934069_3493042421412829648_o

13173573_1112520422143870_4713094270997239968_o

13227834_1120173811378531_5459773784185071496_o

13332815_1131573043571941_5693818428510752578_n

13350520_1133760216686557_8324234999433166542_o

13403809_1133769596685619_1477282000935739089_o

Geralmente os textos postados aqui seguem indicação de outros sites. Esse aqui é meu mesmo! 🙂

P.S.: Me lembra um pouco (talvez muito!) o Minidicionário das Pequenas Grandes Coisas.

O grande cansaço

Compartilho com você meu sonho para 2015 2016. Em vez de chamar sua mente discursiva, falo de coração com a vida misteriosa que agora encara essa tela.

Desejo que voltemos das férias muito cansados. Não renovados, não dispostos: exaustos!

Cansados de carregar o dia inteiro para dentro de cada noite, de trazer nosso passado por trás dos olhos, ano após ano, encardidos de certezas sobre a vida, acumulando experiências, incapazes de soltar e dizer para a pessoa que acabamos de encontrar: “Oi, prazer, acabei de chegar…”

Cansados de compartilhar frases de sabedorias que não sabemos praticar. Cansados de falar mal dos outros, sem reconhecer que vemos fora o que temos dentro. Cansados de tentar o caminho do controle, como uma mosca batendo no vidro, de novo e de novo, sem desconfiar que talvez não seja uma boa ideia condicionar o brilho de nosso olho ao movimento de outros olhos. Cansados de ser tão repetitivos, monotemáticos, tão nós mesmos.

Cansados de nos ocupar, como se relaxar fosse errado. Cansados de buscar o sucesso e temer o fracasso, não importa o quão refinado seja o nosso jogo. Cansados de ceder ao ciúme do outro, de fazer cafuné em seus hábitos negativos, de negociar com cada aflição que nos tiraniza. Cansados de aceitar migalhas de alegria.

Sem título

Cansados de desejar tanta mediocridade para nós mesmos, como se fossem aspirações elevadas (“Que eu passe no concurso! Que eu me case!”), quando poderíamos mirar no céu: “Que minha simples presença possa beneficiar mais e mais pessoas!”

Cansados de confundir nossa bolha com a realidade, sem perceber que os seres não caminham pelo nosso mundo: cada um deles está no centro de um outro mundo. Cansados de reagir e reagir e reagir e reagir, sem nunca estalar os dedos. Cansados de se cansar tão facilmente.

O problema é que a gente não se esgota o suficiente — só 50% não leva à transformação. As coisas só tem o poder de nos cansar porque nós ainda não nos cansamos delas. Lembro de um retiro com o professor Alan Wallace listando as causas desse desgaste sem saída até culminar com força, como se falasse em caixa alta, seco, preciso, cortante: “BASTA!”

É um gesto radical que rompe o loop de sofrimento, parecido com o de Chögyam Trungpa, que virou até caligrafia na entrada de sua casa: deveríamos aprender a proclamar um gigantesco e definitivo “Não” para nossa confusão autocentrada.

Que possamos interromper nosso falatório incessante. Que possamos enfim parar. Começando agora!

No grande cansaço, nessa completa desistência, bem quietos, deitamos. Daqui a pouco um ser brincante, desses completamente livres, vai nos levantar pelo braço: “Venha! Há muito trabalho para quem não mais se cansa.”

~ Gustavo Gitti. Texto recebido por e-mail.

Mais um comercial de Natal que vai fazer você chorar!

loteria_madrid_2

A Loteria Espanhola soltou um belo anúncio de Natal, bem no estilo das animações da Pixar.

O filme conta a história de Justino, um guarda noturno em uma fábrica de manequins, que pela natureza do seu trabalho não encontra com seus colegas de trabalho – mas ironicamente é constantemente rodeado por figuras humanas! Mesmo não estando presente para ver as reações, na sua solidão noturna, encontra um modo de interagir com aqueles que trabalham durante o dia fazendo pequenas surpresas e levando um pouco de alegria para os monótonos dias.

Como se não bastasse o comovente spot criado pela Leo Burnett de Madrid, Justino tem ainda uma simpática conta no Instagram, um site da campanha e até uma página da fábrica no Facebook! Se você é uma pessoa que se emociona facilmente… prepare os lenços e confira o curta!


~ Bruno Molinari para os Comunicadores.