Contos mal contados

De vez em quando a gente se depara com páginas no Facebook, Tumblr ou Pinterest que se tornam um alento pra nossa alma. Pessoas que expõe sua alma de forma digital e conseguem alcançar o mundo inteiro com o alcance de um clique do mouse. Confesso que não são fáceis de encontrar. E é isso que as torna um verdadeiro tesouro.

Contos Mal Contados é uma página de poesias, contos e curtas histórias criada por João Pedro Doederlein, que se auto-denomina “um poeta que nasceu da necessidade, não da simples opção”. Ele e mais outras talentosas escritoras acrescentam a esse lindo portfólio imagens e escritos que tocam fundo dentro dos nossos coraçãozinhos, que mais se parecem com cebolas cheias de camadas.

Particularmente, o que mais me chamou atenção no seu trabalho foram uma série de definições dadas à palavras eventualmente banais, mas que se tornam recheadas de significados, como um dicionário mais humano e menos racional das coisas.

12977257_1099971540065425_3653953044076704494_o

12968133_1096751090387470_5604210799979457611_o

13131117_1111285098934069_3493042421412829648_o

13173573_1112520422143870_4713094270997239968_o

13227834_1120173811378531_5459773784185071496_o

13332815_1131573043571941_5693818428510752578_n

13350520_1133760216686557_8324234999433166542_o

13403809_1133769596685619_1477282000935739089_o

Geralmente os textos postados aqui seguem indicação de outros sites. Esse aqui é meu mesmo! 🙂

P.S.: Me lembra um pouco (talvez muito!) o Minidicionário das Pequenas Grandes Coisas.

Anúncios

Dicionário Lúdico Brasileiro

lúdico | adjetivo
  1. relativo a jogo, a brinquedo.
  2. que visa mais ao divertimento que a qualquer outro objetivo.
    “observava a criança em seus exercícios l.: corria, saltava, dançava”
  3. que se faz por gosto, sem outro objetivo que o próprio prazer de fazê-lo.
    “trabalhar com leitura, para eles, era uma atividade”

Céu: 1. passeio público de pássaros; 2. lugar onde caem os balões de São João; 3. papel de embrulho da Terra; 4. local especificamente construído para as nuvens repousarem seus pés; 5. o mesmo que dar pequenos saltos com as mãos para o alto; 6. foto ampliada dos olhos de Chico Buarque; 7. diz-se do maior abraço que se pode dar; “Para abraçar abelhas, uso mel / minhas palavras, um papel / já meu amor é sempre o céu.”

Sexo: 1. marca de sapatinhos de lã azuis ou cor-de-rosa; 2. aquilo naquilo, naquela ou naqueloutro; 3. espécie de polvo que comumente habita lençóis ou tapetes e pode ter entre 8 e 960 tentáculos; 4. conglomerado intercontinental que fabrica “uis”, “ais”, “ohs” e afins em 1.257 idiomas; 5. irmão siamês do tesão; 6. antônimo de cadáver (exceto para necrófilos); 7. momento que antecede sonhos em technicolor; 8. festa no céu; 9. o homicídio do hímen; 10. animalzinho que se alimenta de feromônios; 11. esconde-esconde em versão de adultos; 12. tranquilizante natural à base de gemidos; 13. matéria-prima das sex-shops; 14. um dos apelidos do amor; 15. o pai de todas as guerras; 16. nômade que acampa em tendas iluminadas com neon, à beira da estrada; 17. motivo de dúvida e inquietação entre a classe angelical; 18. na geometria clássica, o encaixe perfeito entre côncavo e convexo; 19. na astrofísica, instante em que nascem os corpos celestes; 20. primeiro estágio da gravidez; 21. segundo Freud, o que leva o homem a chupar chupeta; 22. na economia moderna, bem complementar ao látex; 23. um dos motivos pelos quais elevadores ficam presos entre dois andares; 24. Gênese; “Acolhe-me em teu sexo, moça de sorriso largo, para que a vida seja a fusão entre duas meias-mortes e, o futuro, algo guardado no bolso traseiro esquerdo de um jeans despido e esquecido por sobre a mesa do jantar.”

Casa: 1. conjunto de paredes dispostas em forma de coração; 2. lugar de onde se sai, mas não se deixa; 3. o outro nome de família; 4. almofada macia usada pelos guerreiros após grandes batalhas; 5. trampolim para a felicidade; 6. objeto de desejo dos recém-unidos; 7. segundo a ciência moderna, o centro dos sistemas solares; 8. local onde se está melhor protegido das tempestades; 9. sobrenome da Paz; 10. caixa de segredos com lacre inviolável; 11. coletivo de cumplicidade; 12. habitat natural do bicho comumente chamado de “amigo”; 13. objetos que, quando em cima de outros, chama-se de “edifício”; 14. baía de águas calmas; 15. apêndice dos quintais; 16. nome popular de doce chamado Lar; 17. tataraneta das cavernas; 18. na geografia, o lugar do mundo onde o dia amanhece com cheiro de café; 19. agrupamento de tijolos unidos pelo cimento da marca Confiança; 20. motivo da existência das passagens de ida-e-volta; “Vai chegar o dia, amor, em que todas as casas serão amarelas, todos os sonhos serão perfumados e todos os sorrisos terão a duração exata de um milênio, com direito a prorrogação e champanhe no final.”

Mar: 1. grande extensão de água salgada que cobre a maior parte do coração; 2. estrada ondulada pintada de verde ou azul; 3. galáxia que eventualmente goteja através dos olhos; 4. medicamento homeopático utilizado para cura de males não corpóreos; 5. um dos membros de uma família de sete; 6. país onde nascem as pérolas; 7. beirada do mundo; 8. constelação de peixes; 9. ser assexuado que vive a lamber corpos e que, quando muito irritado, costuma engoli-los vivos; 10. tábua onde o vento brinca de fazer renda; 11. cômodo que mais valoriza um apartamento novo; 12. conteúdo das conchas; 13. o outro nome do silêncio; 14. grande corporação internacional que fabrica náufragos; 15. espelho utilizado pelo céu em dia de festa; 16. independente da cor, a cor dos olhos de quem é objeto de amor; 17. terra natal de Jacques Costeau; 18. amigo traiçoeiro que separa e une enquanto sorri; 19. adeus que vai e vem; 20. lugar para onde corre o rio formado pelas dores do mundo; 21. o namorado da lua; 22. monarquia absolutista comandada por Netuno; 23. causa da existência da bacalhoada; “O mar é salgado, amor meu, porque houve um dia, muito longe, em que eu ainda não tinha encontrado você. E a vida, ah que vida?, escorria, seca, pelo meu rosto.”

Boca: 1. extremidade externa do coração; 2. pétala vermelha e perfumada que nasce do sorriso dos amantes; 3. porta de entrada do desejo; 4. órgão complementar do aparelho reprodutor; 5. invólucro de galáxias; 6. micro-empresa que produz ósculos; 7. local que deve permanecer vedado para que se evite a entrada de insetos dípteros; 8. motivo de desconfiança de Chapeuzinho Vermelho; 9. lar do ronco; 10. elemento anatômico indispensável ao disparo de cusparadas; 11. moldura de um quadro intitulado “alegria”; 12. maior símbolo do rock and roll; 13. quando de encontro a outra em velocidades superiores à da luz, estimuladora da produção de relâmpagos; 14. local onde se introduz endorfinas em forma de barras, no combate à melancolia; 15. motivo da existência das fábricas de batom; 16. misteriosa caverna da alma, de onde nunca se sabe que animal pode sair; 17. carne macia ao toque da língua; “De minha boca, amor meu, o que de pior podes receber é uma saraivada de brisas em forma de breves explosões sem nenhum rumor.”

Adeus: 1. pequeno lenço branco que espalha lágrimas ao vento; 2. movimento de vai e vai do mar dentro dos olhos; 3. gesto obsceno executado por desamantes em desvario; 4. nona nota musical; 5. cor que sobra no desbotamento do azul; 6. congelamento criogênico momentâneo do coração; 7. cais à beira-d’alma; 8. diz-se daquele instante em que desabam pétalas por sobre o esquife; 9. restos mortais de fotografias não amareladas; 10. na geometria, o ponto exato onde termina uma reta e começa uma curva; 11. verruga que nasce no queixo e que, não tratada adequadamente, transforma-se em tumor maligno; “Adeus, amor, é animal em extinção na minha floresta de palavras, desde que seus olhos lumiaram no escuro de minha alma.”

Felicidade: 1. invólucro onde se guardam sorrisos; 2. momento em que os ponteiros do relógio decidem dançar valsa; 3. líquido viscoso que escorrega por entre os dedos; 4. pedaço de gente com cheiro de talco; 5. movimento espontâneo dos cantos da boca em direção às orelhas; 6. sobrenome do azul; 7. olodum dentro do peito; 8. conjunto de círculos concêntricos em rubro e branco para onde se atiram dardos em forma de coração; 9. roçar de pés por sob o cobertor em noites com temperatura inferior a 18 graus; 10. tia-avó da alegria; 11. erva da qual se faz um chá afrodisíaco; 12. movimento elíptico do Sol em torno do ser amado; 13. nome dado à gota salgada que despenca dos olhos em dia de festa; 14. sensação de se ter feito o que se deveria ter feito; 15. oitava cor do arco-íris; 16. retângulo onde se inserem flagrantes registrados em nitrato de prata; 17. desejo súbito de voar; 18. distúrbio psicológico que causa avalanche de gargalhadas; 19. silêncio que se segue à trovoada; 20. exibição permanente da arcada dentária sem motivos justificados aos olhos dos desprovidos de inocência; “Vem, amor… Me dá um beijo e me arranha as costas, que hoje eu quero sentir o gosto da felicidade.”

Cabelo(s): 1. continuação dos dedos dos apaixonados 2. moldura colorida da alegria; 3. cobertura dos sonhos; 4. uvas verdes dos calvos; 5. na música brega, fio comumente encontrado em paletós; 6. teia onde se prendem os sorrisos; 7. Alphaville dos piolhos; 8. extremidade superior das espigas; 9. melhor amigo do vento, desde que não manipulado por cabeleireiros; 10. matéria-prima do argentum; 11. inimigo mortal da alopecia; 12. na mitologia, músculo mais potente de sansão; 13. rédeas dos amantes; 14. órgão sexual dos anjos; 15. delgada mola de aço em espiral que regula o movimento dos relógios; 16. fio de queratina detonador da saudade; 17. nas mulheres, sobrenome da insatisfação; 18. nos homens, o antônimo de pavor; 19. matéria-prima das tranças; 20. nos contos de fada, escada para subir em torres altas; 21. véu perfumado que cobre a cabeça do ser amado; “Deixa eu sentir os seus cabelos, amor, que o vento não veio e as flores andam nervosas sem perfume.”

Sorriso: 1. ponte iluminada para o Natal; 2. telegrama assinado pela alegria; 3. tique nervoso de quem ama; 4. holofote próprio para iluminação de tocas de tristezas; 5. subproduto de noite divertida sob (ou sobre) lençóis; 6. antônimo de mágoa; 7. melhor amigo dos pirulitos de morango; 8. prévia de carnaval dentro do peito; 9. veleiro à deriva no mar da vida; 10. arrecife de pérolas; 11. cartão de visitas da gargalhada; 12. alimento preferencial da paixão; 13. muralha contra invasões bárbaras; 14. creme dental refrescante; 15. inimigo figadal do desprezo; 16. as time goes bye; 17. um dos irmãos Marx; “Vem, meu sorriso, que a vida corre depressa e é preciso descalçar os sapatos e pisar nas nuvens antes que elas amadureçam.”

Lágrima: 1. saudade na forma líquida; 2. mistura de água do mar com alma moída; 3. secreção aquosa expelida através dos canais lacrimais quando se espreme o coração; 4. felicidade que escorre pela face; 5. estrela cadente que despenca do céu dos olhos de quem ama; 6. motivo da existência de lenços brancos; 7. resultado da fusão de sentimentos contraditórios quando submetidos a altas temperaturas; 8. nome comumente dado ao fim de um romance; 9. momento que antecede o adeus; 10. pedaço de ontem; 11. antônimo de desprezo; 12. matéria-prima das jujubas; 13. grande inspiração dos poetas; 14. fado de Amália Rodrigues; 15. na Europa, folha que cai da árvore quando chega o outono; 16. na infância, associada ao berro, alarme de fome; 17. na velhice, fome de colo; 18. névoa úmida que cobre o mundo quando chove dentro da gente; “Não, isso não é lágrima, não. É que a felicidade virou mar dentro de mim e a maré acabou de subir.”

Filho(a): 1. raspas de coração 2. felicidade que suja fraldas; 3. tubo extremamente barulhento em uma extremidade e absolutamente irresponsável em outra; 4. paz banguela; 5. big-bang dentro do peito; 6.motivo da existência de calendários; 7. principal causa da acrofobia; 8. material orgânico usado para derreter granito; 9. ausência de bolinhas amarelas; 10. sinônimo de amanhã; 11. nome dado à barriga de espécimes femininos em estado interessante; 12. indivíduo devorador de bolotas vermelhas doces presas a palitos; 13. animaizinhos que nunca crescem; 14. antônimo de suicídio; 15. abobalhador de adultos; 16. ser gerado originalmente em laboratório por fábricas de filmes fotográficos; 17. o outro nome da insônia; 18. efeito colateral do amor; 19. comprovação científica da existência de Deus; “Quero ter um filho contigo, porque o mundo tem verde demais e eu gosto do azul.”

Fidelidade: 1. marca de adesivo impermeável; 2. corrente filosófica criada pelo cubano Fidel Castro; 3. cisco encontrado no canto dos olhos de pessoas que se amam; 4. substância corante, avermelhada, que se extrai de certos corações; 5. tipo de anomalia encontrada no bico de alguns pássaros da espécie beija-flor que faz com que eles só consigam sugar néctar de apenas um tipo de flor; 6. movimento do pescoço dos girassóis quando se inclinam em direção ao Sol; 7. pequena cidade do interior de Pernambuco que só possui um jardim para namorados; 8. figura de linguagem criada pelo poeta Rodolfo Muanis que serve para medir a resistência e maleabilidade de sentimentos; “Sua fidelidade foi suficiente para passar anos do outro lado do mundo, mas arrebentou-se quando atravessou a rua.”

Piolho: 1. na ciência, diz-se da parte material da coceira; 2. nome dado aos membros de associações anti-calvície; 3. o amigo de mais baixa estatura das criança em fase pré-escolar; 4. pulgas sem mola; 5. estado de total preenchimento da região bucal; “Desfocada e de maré invertida, ela não proferia palavra, como quando em cambalhotas abarrotava a boca com vento gelado em um completo estado-piolho.”

Saudade: 1. nome da tia mais velha de uma família de oito irmãos; 2. distância média entre seres inseparáveis; 3. a mais aguda nota do batimento cardíaco; 4. diz-se do momento primeiro em que uma criança toma consciência de ter nascido da barriga da mãe; 5. o grito enlatado de alguém que passa dentro de um carro em alta velocidade; “A noite aberta sobre seus ombros era tão lenta quanto as saudades desconexas dos carros tristes que passavam pela avenida.”

Música: 1. pantufas para o ouvido; 2. a fala das pessoas apaixonadas; 3. tempero cinematográfico; 4. gargalhada de criança; 5. o mar indo e voltando; 6. o silêncio entre uma batida e outra do coração; 7. momento da transa em que o resto do mundo deixa de existir; “E não ligavam a mínima para o problema que enfrentariam quando voltassem à cidade, pois, naquele momento, a música tocava alto…”

Pai: 1. indivíduo que alicia crianças a torcer pelo seu time do coração; 2. marca de tintas brancas para o cabelo; 3. o mesmo que pudim de chocolate; 4. espaço do ombro reservado para nos carregar em momentos difíceis; “Olhou para o lado e não teve dúvidas: subiu no pai e, ao avistar o outro lado do muro, os olhos viraram cachoeira…”

Cadarço: 1. arame sem espinhos; 2. sobremesa de gaviões; 3. acordoamento para instrumentos feitos de lata; 4. ponte para formigas; “Quando atravessavam o último cadarço, o pânico tomou conta das formigas ao avistarem lá do céu uma vassoura aproximando-se rapidamente…”

Mulher: 1. fábrica de gente; 2. motivo da existência dos poetas; 3. melhor amiga dos sapatos; 4. indivíduo portador do sexto, do sétimo e do oitavo sentidos; 5. antônimo de fragilidade; 6. pequeno animal que se alimenta de sonhos; 7. melhor abrigo contra tempestades; 8. segundo a ciência, prova inequívoca da existência de um ser superior; 9. sinônimo de porto seguro; 10. o outro nome de alicerce; 11. maior ídolo das flores; 12. enigma que anda; 13. astro celeste que emite luz; 14. corporação internacional que domina o mundo, criada a partir de uma costela; 15. sorriso cercado de admiração por todos os lados; 16. inimiga mortal das bielas e rebimbocas; 17. inspiração de Graham Bell na invenção do telefone; 18. tribo caracterizada por pintar a boca de vermelho, camuflar freqüentemente os cabelos e guerrear valentemente sobre altos saltos; 19. talento na forma humana; 20. a mais adorável das coisas que ninguém entende; “Não é que eu seja menor, amor. É que você é mais, é que você é sonho, é que você é gesto, é que você é cor, é que você é pluma, é que você é céu. É que você é mulher, e isso basta para que seja mais.”

Pé: 1. pneu de gente; 2. indivíduo que, quando está de pé, está deitado, e quando está deitado, está de pé; 3.veículo locomotor movido a sonhos; 4. órgão externo do aparelho dançomotor; 5. fábrica de chulé; 6. Alphaville do bicho de pé; 7. se torto, candidato a lateral esquerdo da Seleção Brasileira de futebol; 8. se “na bunda”, sinônimo de adeus; 9. se “de valsa”, antônimo de timidez; 10. se “de moleque”, festa no céu da boca; 11. se “de pano”, tema de música de Frankito Lopes; 12. triturador de uvas; 13.motivo da existência das botinhas ortopédicas; 14. o viagra do podólatra; 15. se “de galinha”, sinônimo de pânico; 16. se “de mesa”, sonho masculino; 17. se “direito”, medida da altura da tranquilidade; 18. se “de serra”, festa a noite inteira; 19. indivíduo que, se sem par, vive pulando; 20. se gelado, lazarento; 21. termômetro para piscinas; 22. motivo de pavor nos formigueiros; 23. melhor amigo da massagem; 24. se “de meia”, futuro em maços; 25. parte do ser amado mais procurada em noites frias; “Coloca aqui teus pés juntinho aos meus, amor, que dentro de mim está ventando e sinto muito, muito frio.”

Relógio: 1. caixa metálica, plástica ou de madeira onde se esconde o tempo; 2. boi-da-cara-preta dos assalariados; 3. Adolf Hitler dos apaixonados; 4. se sozinho, uma certeza; 5. se em grupo, várias dúvidas; 6. salão de baile dos ponteiros; 7. garoto-propaganda da Suíça; 8. se digital, beijo técnico; 9. conglomerado mundial que fabrica horas, minutos e segundos; 10. a casa dos cucos; 11. banda musical que só compôs a música Tic-Tac; 12. na biologia, animal que se alimenta de futuro, em mínimas porções; 13. pequeno ditador que aprisiona sonhos; 14. rede mundial de vigilância criada pela Associação Internacional dos Chefes; 15. guru da seita Coelho de Alice; 16. indivíduo bipolar que corre muito quando não se quer e rasteja lentamente quando não se precisa; 17. se parado, o tempo empalhado; “No meu relógio, amor, os ponteiros decidiram fazer greve por tempo indeterminado, para que possamos dançar e dançar e dançar enquanto a vida sussurra para o mundo inteiro a nossa música e a noite dorme até mais tarde e decreta feriado no planeta.”

Abraço: 1. habitat natural do carinho; 2. base alimentar popularmente chamado de amor; 3. verdadeiro objetivo do gol; 4. porto seguro; 5. Prozac natural; 6. beijo de umbigos; 7. transfusão de afeto; 8. ato de envelopar quem se ama; 9. espantalho de saudades; 10. felicidade cheia de braços; 11. abrigo anti-aéreo; 12. sistema de calefação ecologicamente correto; 13. plano B de quem dá adeus; 14. apelido de um senhor de nome amplexo; 15. AR 15 do tamanduá; 16. aquilo que Gil manda para Terezinha, para o Chacrinha e para toda a torcida do Flamengo; 17. antônimo de longe; “Vem, moça de abril, e me dá um abraço com seu sorriso e me leva pra bem longe da saudade de quem um dia ainda vamos ser.”

~ A maioria dos textos é de André Gonçalves sob a denominação de Minidicionário das Pequenas Grandes Coisas, mas também contêm contribuições de Vitor Freire e Alisson Villa. Encontrado na internet há muito, muito tempo atrás. #BaúDoTesouro #VelhosTempos

21 imagens que irão restaurar sua fé na humanidade

As pessoas nem sempre são terríveis. De vez em quando, podem até cometer alguns atos maravilhosos! Aqui estão 21 imagens que (talvez) vão lhe lembrar disso:

1. Cristãos em Chicago (EUA), que apareceram numa marcha do Orgulho Gay para pedirem desculpas pela homofobia da Igreja…

Da esquerda para direita: “Nos desculpem por como os cristãos julgaram vocês”, “Nos desculpem por como os cristãos evitaram vocês”, “Nos desculpem por como a igreja tratou vocês”, “Eu era um homofóbico cego pela bíblia, me desculpem!”

…e a reação dos integrantes da marcha!

2. Senhores idosos que se voluntariaram para cuidar da crise nuclear em Fukushima (Japão), evitando assim que os jovens se submetessem à radiação.

Aposentados japoneses são voluntários para lidar com a crise nuclear – Yasuteru Yamada disse que pessoas de todas as faixas etárias são benvindas no grupo.
Um grupo de mais de 200 aposentados japoneses estão se voluntariando para lidar com a crise nuclear em Fukushima. Os Habilidosos Corpos Veteranos, como eles chamam a si mesmos, é composto por engenheiros aposentados e outros profissionais, todos com mais de 60 anos. Eles dizem que eles devem encarar os perigos da radiação, não os jovens.

3. Noruegueses que conseguem resgatar uma ovelhinha do oceano.

4. A placa dessa livraria “espetacular”!

Durante os horários comerciais, os livros na faixada são 50 centavos cada, ou 5 por 2 dólares. Quando o estabelecimento estiver fechado, sintam-se livres para pegá-los emprestado ou comprá-los e me pagar depois. A qualquer hora: se você não tem dinheiro para comprar livros e precisa ou quer ler, sinta-se à vontade. Aceitamos doações.

5. O resultado de como Snooki (que nome estranho!) deveria nomear seu filho!

“Eu sinceramente não dou a mínima!”

6. O momento em que essa atleta de Ohio (EUA) parou pra ajudar uma competidora machucada a cruzar a linha de chegada.

Meghan Vogel, 17 anos, ficou em último lugar na corrida de 3.200 metros quando alcançou a competidora Arden McMath, cujo corpo já não aguentava mais correr. Ao invés de ultrapassá-la para não ficar em última, Vogel colocou o braço de McMath nos ombros, a carregou por 30 metros, e então empurrou-a para a linha de chegada antes de atravessá-la.

7. A troca de cartas entre uma garota de 3 anos (e 1/2) e um shopping center.

Querido Sainsssssssssssssssbbbbbbbbbbbbbbbbbbburyyys
Por que o nome do “pão tigre” é pão tigre? O nome devia ser “pão girafa”.
Com amor, Lily Robinson (idade 3 e meio)
Muito obrigado pela sua carta. Eu acho que renomear o pão tigre para pão girafa é uma idéia brilhante – parece muito mais com as pintas de uma girafa do que com as listras de um tigre, não é? É chamado de pão tigre por que o primeiro padeiro que fez o pão há muuuuuuuuito tempo achou que parecesse listrado como se fosse um tigre. Talvez ele fosse meio bobo.
Realmente gostei de ter lido sua carta, então achei que deveria te mandar um presentinho. Coloquei um vale de 3 euros com essa carta, se você pedir pra sua mamãe ou seu papai te levar para Sainsbury’s você poderia usá-lo para comprar alguns dos seus próprios tiger breads (e talvez se sua mamãe e seu papai deixarem, você pode comprar uns doces também!). Por favor, peça a um adulto para esperar 48 horas antes de usar esse cartão.
Fico orgulhoso que você tenha escrito para nós e espero que você goste de gastar seu vale. Te vejo na loja em breve. Atenciosamente, Chris King (27 anos e um terço)

8. Esse bilhete foi deixado para um garçom junto a uma nota de 20 dólares por uma senhora no restaurante em que trabalhava.

Luke, A gorgeta que te dei foi por que você me lembra muito meu filho, Deron, que morreu há 15 anos atrás.Talvez você pareça um pouco com ele, mas é seu tipo, sua gentileza, sua consciência, seu espírito cortês que fez essa conexão. Obrigada pela lembrança amarga e doce ao mesmo tempo. Que Deus te abençoe, querido!

9. E essa placa do Subway?

Refeições gratuitas para os moradores de rua todas as sextas, das 3 às 5 da tarde.

10. Camponês carregando gatinhos que ficaram encalhados durante enchentes ocorridas na cidade de Cuttack (Índia).

11. A espetacular placa dessa lavanderia!!!

“Se você está desempregado e precisa de uma roupa limpa para uma entrevista, a gente lava DE GRAÇA”
Plaza Cleaners em Portland (EUA) ajudou mais de 2.000 desempregados que não conseguiam bancar as lavagens a seco. O dono da loja estimou que isso custou cerca de 32 mil dólares para a companhia.

12. Um homem dando suas sandálias para uma moradora de rua no Rio de Janeiro (quem nunca se emocionou?)!

13. Bombeiro administrando oxigênio para um gatinho resgatado de um incêndio domiciliar…

14. …e esse também!

15. A interação de uma garota na Guatemala com um turista que acabou de conhecer.

16. O gesto simples de um vizinho.

Olá Vizinho. Meu nome é Mohammad, um muçulmano, morando em XXX.
Estamos fazendo jejum pelo mês do Ramadâ. Domingo, 7 de agosto às 8 da noite, gostaria convidar você e sua família para quebramos o jejum. Serviremos um jantar.
Por favor me ligue para confirmar, e me diga quantos membros da sua família virão.

17. Duas crianças cooperando para resgatar um cachorro que caiu em um desfiladeiro.

18. O recado na conta de uma família.

Alguém pagou nosso jantar quando éramos pais jovens, o que realmente nos marcou. O fundamento desse gesto é a boa paternidade. Continuem fazendo um bom trabalho… o tempo passa muito rápido.
“Minha esposa, meu bebê de 1 ano e eu fomos jantar e isso era o que estava escrito na nossa conta.”

19. A interação entre protestantes e militares durante uma comoção aqui no Brasil!

Durante um protesto no Brasil, um general disse: “Por favor, não lutem, não no meu aniversário…” Então um grupo de protestantes fizeram uma surpresa para ele.
Fé na humanidade: restaurada.

20. As imagens de um jovem pulando em águas agitadas para salvar um cachorro em Melbourne (Austrália).

Sue Drummond estava andando com seu amado Shih Tzu, Bibi, num píer em Melbourne, quando uma forte ventania o derrubou nas águas agitadas da baía. Um transeuntee, Raden Soemawinata, que por acaso estava no píer aquele dia para espalhar as cinzas da avó, não perdeu tempo: tirou a roupa e mergulhou na baía para resgatar o animal.

21. Dois melhores amigos num abraço! ((=

O original foi encontrado aqui: Tatudobem? (Indicação de Eduardo Karasinski e Luiz Otávio). Original em BuzzFeed.

Aceita um abraço?

Quem não gosta de dar um bom abraço? Fabian, esse sujeito que você vai ver no vídeo, vestiu uma roupa de urso carinhoso e foi para as ruas tentar conseguir alguns abraços das pessoas. Você daria um abraço nele?

asd
O fato é que Fabian é portador de deficiência e, muitas vezes, no ônibus, o assento ao seu lado fica vazio. Qual o problema das pessoas?

O vídeo foi feito pela Infirmis Pro e é chamado de “Get Closer”, uma forma de mostrar a verdadeira atitude das pessoas, diante da aparência.

É preciso disfarce para aproximar as pessoas?

Fonte: Uhull!