Tuítes tão lindos que dá vontade de tatuar

Melhor que estrelinha na nuca.

Screenshot_2015-10-04-10-47-47 Screenshot_2015-10-04-10-48-02 Screenshot_2015-10-04-10-48-13 Screenshot_2015-10-04-10-48-25 Screenshot_2015-10-04-10-48-44 Screenshot_2015-10-04-10-48-56 Screenshot_2015-10-04-10-49-12 Screenshot_2015-10-04-10-49-36 Screenshot_2015-10-04-10-49-46 Screenshot_2015-10-04-10-50-03 Screenshot_2015-10-04-10-50-17 Screenshot_2015-10-04-10-50-44 Screenshot_2015-10-04-10-50-56 Screenshot_2015-10-04-10-52-10 Screenshot_2015-10-04-10-52-28

~ Seleção de Rafael Capanema para o BuzzFeed.

Anúncios

Para entender o atual cenário político e econômico

Vai dizer que isso não acontece com você: não é possível dar um passo numa rede social sem tropeçar num textão falando do atual cenário político e econômico brasileiro. Cinéfilos, rockstars, blogueiros, filósofos, atores, jornalistas. Todo mundo quer dar o seu pitaco, expôr seu ponto de vista. E nada é tão simples que possa ser resumido num mísero parágrafo, não é mesmo?

Nós vivemos a era do textão. Ame ou odeie, ele funciona quase como um estado de espírito. Algo tão presente que é praticamente impossível viver alheio.

Mas se você está cansado do “Ver mais”, se é traumatizado com o “Continuar lendo”, se não aguenta mais a prática de exercícios localizados no dedo indicador, em scrolls que nunca chegam ao fim, chegou a hora de simplificar.

Reunimos alguns tuítes que explicam o atual cenário político e econômico melhor que qualquer textão. Sim: 140 caracteres, uma boa dose de despretensão e o mais fiel retrato do momento que vive o país.

Sem título 01

Sem título 02

Sem título 03

Sem título 04

Sem título 05

Sem título 06

Sem título 07

Sem título 08

Sem título 09

Sem título 10

Sem título 11

~ Spotniks.

Tudo o que vai te matar, de A a Z

Por que um vídeo que lista, de A a Z, as coisas cotidianas que podem matar seria engraçado? Eu ri ao assisti-lo e me fiz essa pergunta. Qual a intenção de se fazer graça com o fato de que tudo tem um lado ruim, de que tudo adoece?

O curta-metragem mostra em animação uma conversa, em forma de versos, entre a morte e um homem. Ele, coitado, parado sem entender muita coisa. Ela, a morte, parece se esbaldar de alegria à medida que vai seguindo sua lista. Depois de um pouco de reflexão, entendi o que faz o vídeo ser de humor: nele há informações que servem para mim, ou para qualquer um que lhe assista. Quem na vida nunca tomou água de garrafa plástica ou comeu fritura, por exemplo?

No checklist dito pela morte na animação, eu marquei quase todos os itens; e ri disso. A carapuça serve em todos, aliás. O vídeo não é sobre a extinção dos dinossauros ou a explosão solar prevista para daqui a bilhões de anos. Ele fala sobre coisas cotidianas que podem realmente fazer qualquer um dizer adeus à vida; e nada como o humor para tratar de algo série, né?


A gente tende sempre a pensar na ideia absurda de poder controlar a morte, de negar que ela é parte da vida. Daí quando surge um vídeo simples, que toque nesse assunto, a gente ri – na tentativa de aplacar um pânico velado.

No final do vídeo vem o soco que mais dói: você vai morrer de qualquer jeito, amigo. Não importa o quanto tente mudar isso ou mesmo que não dê a mínima importância.

Mas e daí? No frigir dos ovos, a morte nada mais é do que um esqueleto intrometido vestido de preto e com voz de locutor. É isso, né? Deve ser.

Tomara que sim, porque a vida é curta e o tempo está passando rápido…

Eu traduzi a conversa, dá uma olhada:

* * *

maxresdefault

“Na vida você tem escolhas. Umas saudáveis, outras não. De vez em quando é difícil escolher. Se você está se perguntando o que te fará doente, é fácil porque tudo pode acontecer.

O Álcool é fonte do vício, de doenças hepáticas e outras tantas. Que tal água, então? Só se não estiver em garrafas plásticas, porque nelas há o BPA. Não também aos Carboidratos dos refrigerantes e sucos cheios de açúcar. Desidratação mata e por isso você precisar beber, mas todas essas bebidas parecem feder. Comer (Eating) quantidades imperfeitas, pouco ou muito, coisas que não deveria consumir, porque vários pratos vão te levar para a ruína. Frituras são cheias de gordura, tão ruins quanto o Glúten se você cair nessa armadilha. Há ainda as salsichas (Hot Dogs), quem sabe do que elas são feitas? I é para inseticidas, vegetais e legumes estão cheios. J é para a falta de juízo ao usar muito sal de cozinha. O couve (Kale) também leva culpa.

“Mas ele não é saudável?” – Estou feliz que perguntou, pois repolho e couve fazem a tireoide trabalhar mais.

“Esqueça isso de comidas, vou sair” – Mas lá fora é onde ainda mais perigos se escondem.

L é para a doença de Lyme, transmitida por carrapatos. M é para a malária que os mosquitos infligem. N é para a N-dietil-meta-toluamida (presentes dos repelentes). Ela mata os insetos e mata você por dentro.

wkydidfkdv2l5zzc45jc

O é para a falta de oxigênio em atividades físicas. P é poluição em cada inspiração. é para o mercúrio (quicksilver), a pesca está destruída. R é o gás radão, difícil de se detectar. S é para o sol, mas também para o bloqueador solar: ambos causam câncer, isso não é engraçado?

T é para o tabaco, U e V para radiação ultravioleta. W é por assistir (watching) muito televisão. X, como esperado, é para os raios-X. Y é, surpreendentemente, para a erva-mate (Yerba Mate) e Z é para o fanatismo (zealotry), qualquer garantia de que você encontrou a chave para a vida eterna.

Você não pode evitar o perigo, por mais que tente. Suas ações não importam, você ainda vai morrer.”

* * *

E vai mesmo.

~ Herbert Santana para o Papo de Homem.

Tome um café com Jesus

São apenas 10 imagens que se repetem e revezam em mais de 400 histórias onde Lisa, Carl, Ann e Kevin batem papo com o seu Salvador (ocasionalmente, Satanás também aparece).

A obra, de autoria de David Wilkie, é um dos subprodutos do site Radio Free Babylon – basicamente um consórcio de artistas e geradores de conteúdo – e avisa aos leitores antes de clicarem nos quadrinhos: “Se você é facilmente ofendido por humor político ou religioso, então vá para outro canto e não olhe para isso.”

As tirinhas, sempre compostas de 4 quadros, são escritas em um inglês acessível e relativamente de fácil compreensão. O catavento* selecionou e traduziu 6 dessas histórias que você confere logo abaixo:

[Clique na imagem para ampliar]

JESUS INGRATO

café-rev1

GAME OF THRONES

café-rev-2

PORTAS FECHADAS

café-3

SE VOCÊ CONSTRUIR…

café-rev-4

A VIDA É IMPROVISAÇÃO

café-rev-5

É POSSÍVEL

café-6

Você também pode acompanhá-los pelo Facebook.