30 coisas que você deve começar a fazer para si mesmo

Não é a primeira vez que publicamos um texto de Marc e Angel. Há alguns dias lançamos o texto “30 coisas que você deve parar de fazer a si mesmo“, autoria da dupla. O texto que você vai ler a seguir também foi escrito por Marc e Angel, sendo uma resposta àqueles que acharam que o primeiro texto é uma versão negativa de se ver as coisas. Então agora temos uma versão positiva.

page 11

01. Comece a passar o tempo com as pessoas certas

Estas são as pessoas que você gosta, que amam e apreciam você, e que o incentivam a melhorar de maneira saudável e estimulante. São aquelas pessoas que fazem você se sentir mais vivo, e não só aceitam quem você é agora, mas também estão de acordo e aceitam quem você quer ser, incondicionalmente.

02. Comece a enfrentar seus problemas de frente

Não são os seus problemas que definem você, mas como você reage e se recupera deles. Os problemas não vão desaparecer se você não agir. Faça o que você puder, quando puder, e reconheça o que você fez. É uma questão de dar passos de bebê na direção certa, centímetro por centímetro. Estes centímetros contam, eles somam metros e quilômetros a longo prazo.

03. Comece a ser honesto com você mesmo sobre tudo

Seja honesto sobre o que está bem, assim como sobre o que precisa ser mudado. Seja honesto sobre o que você quer alcançar e quem você quer se tornar. Seja honesto com todos os aspectos da sua vida, sempre. Porque você é a única pessoa que você sempre pode contar. Procure a verdade na sua alma, para que você realmente saiba quem você é. Quando você fizer isso, você terá uma melhor compreensão de onde você está agora e como você chegou aqui, e você estará melhor equipado para identificar onde você quer ir e como chegar lá. Leia O Caminho Menos Percorrido.

page 12

04. Comece a fazer da sua própria felicidade uma prioridade

Suas necessidades importam. Se você não se valoriza, não se cuida e não se defende, você está se sabotando. Lembre-se, é possível cuidar das suas próprias necessidades e ao mesmo tempo cuidar das pessoas ao seu redor. E quando as suas necessidades forem atendidas, você provavelmente vai ser muito mais capaz de ajudar aqueles que precisam de você.

05. Comece a ser você mesmo, genuinamente e orgulhosamente

Tentar ser qualquer outra pessoa é um desperdício da pessoa que você é. Seja você mesmo. Abrace essa pessoa dentro de você, que tem ideias, força e beleza como ninguém. Seja a pessoa que você sabe que você é – a melhor versão de você – do seu jeito. Acima de tudo, seja fiel a VOCÊ, e se seu coração não quiser fazer algo, então não faça.

06. Comece a prestar atenção e viver no presente

O agora é um milagre. Agora é o único momento garantido para você. Agora é a vida. Então pare de pensar em como as coisas vão ser ótimas no futuro. Pare de ficar pensando sobre o que você fez ou deixou de fazer no passado. Aprenda a ficar no “aqui e agora” e experimentar a vida enquanto ela está acontecendo. Aprecie o mundo pela beleza que ele possui nesse momento.

page 13

07. Comece a valorizar as lições que seus erros ensinam

Tudo bem errar. Os erros são os degraus do progresso. Se você não está falhando de vez em quando, você não está se esforçando o suficiente e você não está aprendendo. Assuma riscos, tropece, caia, e, em seguida, levante-se e tente novamente. Aprecie que você está se esforçando, aprendendo, crescendo e melhorando. Conquistas significativas são quase invariavelmente realizadas no final de um longo caminho de fracassos. Um dos “erros” que você teme pode ser apenas o elo para o seu maior feito na vida.

08. Comece a ser mais gentil com você mesmo

Se você tivesse um amigo que falasse com você da mesma forma como, às vezes, você fala com você mesmo, quanto tempo você permitiria que essa pessoa fosse sua amiga? A maneira como você se trata estabelece o padrão para os outros. Você deve amar quem você é ou ninguém mais irá.

09. Comece a desfrutar as coisas que você já tem

O problema com muitos de nós é que pensamos que vamos ser feliz quando alcançarmos certo nível na vida – um nível que outros conseguiram – seu chefe com seu escritório de canto, o amigo de um amigo que é dono de uma mansão na praia, etc. Infelizmente, pode levar algum tempo antes que você chegue lá, e quando você chegar lá, você provavelmente vai ter um novo destino em mente. Você vai acabar gastando toda a sua vida trabalhando em direção a algo novo, sem nunca parar para apreciar as coisas que você tem agora. Então, fique em silêncio todas as manhãs quando você acordar, e aprecie onde você está e o que você já tem.

page 14

10. Comece a criar sua própria felicidade

Se você está à espera de alguém para lhe fazer feliz, você está perdendo tempo. Sorria porque você pode. Escolha a felicidade. Seja a mudança que você quer ver no mundo. Seja feliz com quem você está agora, e deixe a sua positividade inspirar sua jornada para o amanhã. Felicidade é frequentemente encontrada quando e onde você decide procurá-la. Se você procurar a felicidade dentro das oportunidades que você tem, você acabará por encontrá-la. Mas se você constantemente procurar outra coisa, infelizmente, você vai encontrar isso também. Leia Tropeçar na Felicidade.

11. Comece a dar uma chance para as suas ideias e sonhos

Na vida, raramente é sobre ter uma oportunidade, mas sim sobre se arriscar. Você nunca vai estar 100% certo que vai funcionar, mas você sempre pode estar 100% certo que não fazer nada não vai funcionar. Na maioria das vezes você só precisa ir em frente! E não importa o resultado, sempre acaba do jeito que deveria ser. Ou você tem sucesso ou você aprende alguma coisa. De qualquer jeito, você ganha.

12. Comece a acreditar que você está pronto para a próxima etapa

Você está pronto! Pense nisso. Você tem tudo que você precisa agora para dar o próximo passo adiante, pode ser pequeno, mas deve ser realista. Então abrace as oportunidades que surgem em seu caminho, e aceite os desafios – eles são presentes que irão ajudá-lo a crescer.

page 15

13. Comece novos relacionamentos pelas razões certas

Entre em novas relações com pessoas confiáveis​​, honestas, que refletem a pessoa que você é e a pessoa que você quer ser. Escolha amigos que você tem orgulho de conhecer, pessoas que você admira e que demonstram amor e respeito por você – pessoas que retribuem sua bondade e seu compromisso. E prestam atenção ao que as pessoas fazem, porque as ações de uma pessoa são muito mais importantes do que suas palavras ou como os outros a descrevem.

14. Comece a dar uma chance às novas pessoas que você encontra

Parece desagradável, mas você não pode manter cada amigo que você já fez. As pessoas e suas prioridades mudam. Assim como alguns relacionamentos vão desaparecer, outros vão crescer. Aprecie a possibilidade de novas relações enquanto você naturalmente larga mão das antigas que não funcionam mais. Confie em seu julgamento. Abrace novas relações, sabendo que você está entrando em território desconhecido. Esteja pronto para aprender, esteja pronto para o desafio e esteja pronto para encontrar alguém que pode mudar sua vida para sempre.

15. Comece a competir contra uma versão anterior de você mesmo

Seja inspirado pelos outros, aprecie os outros, aprenda com os outros, mas saiba que competir contra eles é um desperdício de tempo. Você está em competição com uma pessoa e apenas uma – você mesmo. Você está competindo para ser o melhor que você pode ser. Vise quebrar seus próprios recordes pessoais.

page 16

16. Comece a torcer pela vitória das outras pessoas

Comece a perceber o que você gosta nos outros e diga a eles. Apreciar o quão incrível as pessoas ao seu redor são conduz a lugares, bons, produtivos, gratificantes e pacíficos. Então, fique feliz por aqueles que estão progredindo. Torça pelas suas vitórias. Seja grato abertamente pelas bênçãos que eles receberam. O que vai, volta, e mais cedo ou mais tarde, as pessoas para quem você está torcendo começarão a torcer por você.

17. Comece a olhar para o lado positivo nas situações difíceis

Quando as coisas estão difíceis, e você se sente para baixo, faça algumas respirações profundas e procure o lado positivo – os pequenos sinais de esperança. Lembre-se que você pode e vai ficar mais forte quando esses tempos difíceis passarem. E permaneça consciente de suas bênçãos e vitórias – todas as coisas em sua vida que estão bem. Concentre-se no que você tem, não no que você não tem.

18. Comece a perdoar a si mesmo e aos outros

Todos nós fomos feridos pelas nossas próprias decisões e pelos outros. E enquanto a dor dessas experiências é normal, às vezes perdura por muito tempo. Nós revivemos a dor repetidamente e temos dificuldade em deixá-la ir. O perdão é o remédio. Isso não significa que você está apagando ou esquecendo o que aconteceu no passado. Isso significa que você está deixando de lado o ressentimento e a dor, e está escolhendo aprender com o incidente e seguir em frente com sua vida.

page 17

19. Comece a ajudar aqueles que estão a sua volta

Se preocupe com as pessoas. Oriente-as se você souber um caminho melhor. Quanto mais você ajudar os outros, mais eles vão querer ajudá-lo. Amor e bondade gera amor e bondade. E assim por diante.

20. Comece a ouvir a sua voz interior

Se isso ajuda, discuta suas ideias com as pessoas mais próximas de você, mas dê a você mesmo espaço suficiente para seguir a sua própria intuição. Seja fiel a si mesmo. Diga o que você precisa dizer. Faça o que o seu coração diz que está certo.

21. Comece a ficar atento ao seu nível de estresse e faça pausas curtas

Vá mais devagar. Respire. Dê a você mesmo permissão para fazer uma pausa, reagrupar e avançar com clareza e propósito. Quando você estiver muito ocupado, um breve recesso pode rejuvenescer a sua mente e aumentar a sua produtividade. Estas pausas curtas vão ajudá-lo a recuperar sua sanidade e refletir sobre suas ações recentes, assim você pode ter certeza que elas estão alinhadas com seus objetivos.

page 18

22. Comece a perceber a beleza dos pequenos momentos

Em vez de esperar que grandes coisas aconteçam – casamento, filhos, grande promoção, ganhar na loteria – encontre a felicidade nas pequenas coisas que acontecem todos os dias. Pequenas coisas, como tomar tranquilamente uma xícara de café no início da manhã, ou o delicioso cheiro e sabor de uma refeição caseira, ou o prazer de compartilhar algo que você gosta com outra pessoa ou ficar de mãos dadas com o seu parceiro. Perceber esses pequenos prazeres diariamente faz uma grande diferença na qualidade de sua vida.

23. Comece a aceitar as coisas quando elas não são perfeitas

Lembre-se, “perfeito” é o inimigo do “bom”. Um dos maiores desafios para as pessoas que querem melhorar a si mesmas e melhorar o mundo é aprender a aceitar as coisas como elas são. Às vezes é melhor aceitar e apreciar o mundo como ele é, e as pessoas como elas são, em vez de tentar fazer com que tudo e todos estejam em conformidade com um ideal impossível. Não, você não deve aceitar uma vida medíocre, mas deve aprender a amar e valorizar as coisas até mesmo quando elas não são perfeitas.

24. Comece a trabalhar na direção dos seus objetivos todos os dias

Lembre-se, a viagem de mil quilômetros começa com um passo. Seja qual for o seu sonho, todo dia dê um passo pequeno, mas coerente, para que seu sonho aconteça. Vá lá e faça alguma coisa! Quanto mais você trabalhar, mais sorte você terá. Enquanto muitos de nós dizemos, em algum momento durante o curso de nossas vidas, que queremos seguir a nossa vocação, poucos são aqueles astutos que realmente trabalham para que isso aconteça. Por “trabalhar por isso”, eu quero dizer se dedicar consistentemente ao resultado final. Leia Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes.

page 19

25. Comece a dizer mais como você se sente

Se você está sofrendo, dê a você mesmo o espaço e o tempo necessário para se sentir a dor, mas esteja aberto sobre isso. Converse com as pessoas mais próximas a você. Diga-lhes a verdade sobre como se sente. Deixe-os ouvir. O simples ato de desabafar é o seu primeiro passo para se sentir bem novamente.

26. Comece a tomar plena responsabilidade pela sua vida

Seja responsável pelas suas escolhas e pelos seus erros, e esteja disposto a tomar as medidas necessárias para melhorar de acordo com eles. Ou você assume responsabilidade pela sua vida ou alguém o fará. E quando alguém o fizer, você vai se tornar um escravo das suas ideias e sonhos em vez de um pioneiro dos seus próprios sonhos. Você é o único que pode controlar diretamente o resultado da sua vida. E não, não vai ser sempre fácil. Cada pessoa tem uma pilha de obstáculos na frente delas. Mas você tem que assumir a responsabilidade pela sua situação e superar esses obstáculos. Optar pelo contrário é escolher uma vida de mera existência.

27. Comece a nutrir seus relacionamentos mais importantes

Leve para a sua vida, e para as vidas daqueles que você ama, verdadeira e honesta alegria com o ato simples de lhes dizer regularmente o quanto eles significam para você. Você não pode ser tudo para todos, mas você pode ser tudo para algumas pessoas. Decida quem são essas pessoas em sua vida e trate-as como se fossem da realeza. Lembre-se, você não precisa de certo número de amigos, apenas um número de amigos que você pode contar.

page 20

28. Comece a se concentrar nas coisas que você pode controlar

Você não pode mudar tudo, mas você sempre pode mudar alguma coisa. Desperdiçar seu tempo, talento e energia emocional com coisas que estão além do seu controle é uma receita para a frustração, miséria e estagnação. Invista sua energia nas coisas que você pode controlar e aja sobre elas agora.

29. Comece a se concentrar na possibilidade dos resultados positivos

A mente tem que acreditar que pode fazer alguma coisa antes que seja realmente capaz de fazê-la. O caminho para superar os pensamentos negativos e as emoções destrutivas é desenvolver emoções positivas que são mais fortes e mais poderosas. Ouça a sua voz interior e substitua pensamentos negativos por positivos. Independentemente de como a situação parece, foque sobre o que você quer que aconteça e, em seguida, dê o próximo passo positivo. Não, você não pode controlar tudo o que acontece com você, mas você pode controlar como você reage às coisas. A vida de todos tem aspectos positivos e negativos. A longo prazo, você ser ou não ser feliz e bem-sucedido depende muito de quais são os aspectos mais focados na sua vida. Leia The How of Happiness.

30. Comece a perceber o quão rico você é agora

Henry David Thoreau disse certa vez: “Riqueza é a capacidade de experimentar a vida plenamente.” Mesmo quando os tempos estão difíceis, é sempre importante manter as coisas em perspectiva. Você não foi dormir com fome na noite passada. Você não dormiu na rua. Você pôde escolher que roupa vestir esta manhã. Você não se cansou hoje. Você não gastou um minuto com medo. Você tem acesso à água potável. Você tem acesso a cuidados médicos. Você tem acesso à Internet. Você pode ler. Alguns poderiam dizer que você é incrivelmente rico, então se lembre de ser grato por todas as coisas que você tem.

~ Willian Binder para o Awebic.

9 questões desconfortáveis sobre ser pai e mãe

ATENÇÃO: abra seu coração antes de ler o texto.

Quando uma pessoa anuncia o nascimento de seu filho para o mundo isso vem embalado numa aura de santidade, o que tem seu charme misturado com certa “breguice”, a vida tem essa beleza estranha. Mas muitos pais só vão descobrir tardiamente que não existe nenhum manual de instrução.

Esquecemos de dizer algumas coisas importantes para os candidatos à pai e mãe.

1. Os filhos serão espelhos de suas virtudes e defeitos

Não adianta negar, mas quando alguém diz que uma criança está agindo de um jeito “mau educado” provavelmente é verdade.

Os bebês nascem com os cérebros mais sedentos que você jamais terá ao longo de sua vida, cada impressão, palavra, fisionomia e comportamento será espelhado como se ele fosse um mímico dos pais.

É até surpreendente notar que uma mãe extremamente geniosa e agitada não reconheça nos mimos do filho a sua versão mirim. A maneira arbitrária ou consistente que alguém age implicará diretamente no jeito que seus filhos se comportarão.

2. Os filhos não são troféus

Seu filho é doce, limpinho, educado, mas ainda assim ele é um ser humano que desenvolverá vontade própria.

Como todo ser humano ele deixará que suas tendências construtivas e destrutivas venham à tona. E você terá uma tarefa inicialmente primária nessa construção, mas pouco a pouco se tornará dispensável até o ponto da “inutilidade” pedagógica. Prepare-se para isso, eles se despedirão.

1-kH595QHxUovdR2GHvjYpow

3. Filhos que não são educados a questionar serão submissos a qualquer um…

…inclusive ao amigo que vai propor alguma ação que você não aprovaria.

Muitos pais tem um ponto cego sobre isso, ao educarem seus filhos da maneira mais obediente e submissa possível deixam de ensinar a capacidade dele se posicionar, questionar, confrontar e argumentar com os outros. Se ele segue como um robô suas ordens isso não impedirá que eleja no futuro outro guia cego para as ações dele.

Até os 7 anos de idade isso pode parecer bonito, mas quando o tempo passa é preciso acrescentar uma dose de complexidade na cabeça do pimpolho. Questionar é estratégia de sobrevivência em qualquer meio para que se desenvolva de maneira saudável e inteligente.

4. Seu filho crescerá

É bem comum que muitas pessoas ao pensar na ideia de ter um filho imagine uma criança linda e saudável perpetuamente. Seu bebê lindo vai crescer e se transformar numa pessoa com sonhos, medos e desejos próprios. Já ouvi a frase:

“filha minha não vai andar com vagabundo”

Vai sim, inclusive para provar que esse pai está enganado e que ela tem vontade própria.

O ideal de maternidade associado aos primeiros anos é um dos maiores auto-enganos que os pais cometem e que os levam a ter relações problemáticas com seus filhos na adolescência. Época que nunca imaginaram que chegaria.

5. Limite não mata ninguém

Dar limite para os filhos não mata ninguém, mas não dar limites pode matar muitas pessoas quando ele crescer e achar que não deve colocar um freio em sua impulsividade.

Muitos pais tem medo de limitar seus filhos, principalmente aqueles que se sentem ausentes de casa por causa do trabalho.

O raciocínio é o seguinte.

trabalho muito > meu filho sente minha ausência > quando estou com ele farei desse um momento especial > o momento especial é deixar ele alegre > para trazer alegria deixarei fazer ou comer tudo o que quiser > ele vai me amar muito

Não, querido pai e mãe, os filhos se contrariam quando recebem uma ordem mas ficam aliviados (sem saber disso) por sentirem que estão protegidos de seus próprios impulsos destrutivos. Limitar um filho com afetuosidade é que é um ato de amor.

6. Seja o tipo de pessoa que ele vai copiar

Milagres não existem. Depois de passar anos recebendo mensagens claras ou contraditórias sobre como agir não adianta imaginar que dando ordens seu filho irá obedecer cada palavra cegamente.

Pense bem, analise o padrão de regras que transmitiu. Foram regras claras, consistentes, amparadas em princípios mais profundos, ou foram regras aplicadas no calor do momento e dependendo do seu humor? Se o dia de trabalho dos pais foi bom a regra é sim, se foi ruim a regra é não.

“Pode isso, Arnaldo?”

Seu filho pode ouvir duzentas vezes que não deve tomar refrigerante, mas se ele observar você soltando belos arrotos gaseificados ele vai atrás da latinha dele também. Ele aprende imitando, muito mais que ouvindo.

7. Pagar as contas não resolve tudo

Se você acha que a provisão financeira é a única condição para uma boa educação, então você se esqueceu como foi seu próprio processo de educação. Certamente que o dinheiro pode expor uma criança a experiências enriquecedoras, mas outra pessoa pode não ter onde cair morta, e ter exemplos morais poderosos. Isso pode alavancar a vida dos filhos muito mais do que uma boa herança.

Herança sem amorosidade não funciona e precipita disputas patrimoniais dos filhos em vida, como urubus voando sobre o moribundo. Vai dar muito mais trabalho educar seu filho do que ter dinheiro para levá-lo para a Disney. Então, se para ganhar rios de dinheiro você vai se ausentar moralmente repense sua prioridade.

8. Colocar numa boa escola não tira sua responsabilidade

Bem que você pode tentar matricular seus filhos numa escola TOP, mas isso não irá torná-los educados ou cultos. Essa construção é feita à quatro mãos (seis, oito, dez), se você não lê, tem curiosidade por aprender ou se interessa realmente por avançar intelectual e emocionalmente não espere que isso seja despertado magicamente.

Brigar com os professores, mudar seu filho de escola caso ele repita de ano sem questionar se o clima emocional de casa é harmonioso ou produtivo emocionalmente será um remendo mal colocado. No momento irá funcionar até que o vazamento apareça em outro lugar.

1--Og4IX6kRMZDn_RE9KXubg
O Sr. Miyagi não vai salvar seu filho do bullying.

9. Ele não será sua companhia na velhice

Sua velhice é responsabilidade sua, de mais ninguém, portanto, imaginar que seu filho(a) abrirá mão da vida dele para cuidar de você em tempo integral na velhice quer dizer que você está esperando dele um papel de enfermeiro.

Como você se sentiria se fosse impelido a abrir mão de uma vida pessoal/profissional/amorosa satisfatória para cuidar de seus pais?

O maior presente que um pai pode dar para os filhos é pensar na sua aposentadoria e velhice, quanto mais independente melhor para todos. E é exatamente essa liberdade que tornará a relação tão agradável que os filhos estarão sempre rondando a casa dos pais. Já o fardo sempre afasta.

***

Tome com carinho esse alerta para que essa jornada tão enriquecedora possa ser produtiva para todos os envolvidos, pais e filhos.

~ Frederido Mattos para o Medium.

Quero, mas não consigo

Quero fazer tal coisa, mas não consigo!

Quando um paciente senta na minha frente na terapia e diz essa frase, sinto nitidamente que estou falando com duas pessoas dentro de uma.

De fato é assim que interajo com as pessoas no consultório, como se fossem um feixe de personalidades que muitos chamam de “eu”. Com base na minha experiência clínica, digo que o “eu” sempre é um “nós” bem complexo.

quero1-600x800

Vejo a personalidade como uma embarcação de tripulação imensa, em que cada um gostaria de assumir o leme do navio e o levar para a direção que ele quiser, excluindo os outros presentes. Muitas vezes nossa identidade central se torna refém de um grupo mais forte de vozes que se apropria do leme e muda o rumo do navio para onde quer, por ser mais gostoso.

Vamos tomar uma situação típica de desilusão amorosa: o sujeito se encanta pela garota, se apaixona, mas o caminhar da situação não desemboca no destino que ele queria. Ele não passa de algumas ficadas. Ele quer se desapegar daquela menina pela qual se apaixonou, mas não consegue.

Houve uma divisão de vontades na embarcação. Uma parte acha que ele deve deixar a garota de lado, mas a outra adora devanear em sonhos e planos encantados onde tudo ali é perfeito: transas, conversas, celebrações, ideais e planos. Tudo imaginação megalomaníaca, mas quem liga para isso?

Eis o impasse. Se as duas partes querem e as duas têm propriedade no que falam, qual delas será ouvida pelo capitão do navio?

Vai depender do nível de maturidade geral de todos tripulantes. Se for interessante que toda a tripulação faça um esforço extra para remar com mais empenho até chegar à praia do desapego, ele vai conseguir direcionar gradualmente seus esforços para sua própria vida e seguir em frente.

No entanto, se for uma tripulação preguiçosa, (mal-)acostumada a receber tudo de bandeja, crente que a felicidade é resultado do acaso ou de atos mágicos, tudo será mais difícil. Essa tripulação orgulhosa de si não aceitará sair por baixo da situação e, para reaver o senso de masculinidade do garoto, irá ancorar toda inação futura numa fantasia muito distante.

Enquanto ele sonha com o ideal da mulher perfeita que gostaria de ter nos braços, sua vida ficou parada e exigiu pouco de todos os navegantes. É menos trabalhoso acusar a má sorte, o destino ou o nariz empinado da menina do que assumir que ele simplesmente não foi o eleito da vez e não há nada de errado ou mesmo de incomum nisso. Se quiser algo de verdade, precisará negociar com a voz orgulhosa de sua tripulação e pedir para que o libere de sair por cima.

Ele ficará paralisado enquanto enxergar uma vantagem no aparente sofrimento passivo do rapaz, especialmente em contraponto ao sacrificio de seguir em frente para novos desafios e potenciais novas frustrações.

Ou seja, quando ele diz “não consigo”, na realidade ele não quer abrir mão das vantagens de permanecer passivo naquele suposto sofrimento.

screaming-kid1

“QUERO emagrecer”, “QUERO satisfação profissional”, “QUERO um novo amor, mas não consigo!”

Besteira! Bobagem! Balela!

Você não quer deixar de comer bobagens, não quer se aperfeiçoar, ousar e brigar pela carreira desejada e não quer se aprimorar, se tornar companhia agradável e proporcionar boas experiências para a candidata.

Ou seja, não quer fazer o trabalho duro, silencioso, que dá resultados a longo prazo, sem alardes, sem recompensas imediatas, sem prazer sem fim e sem aplausos constantes. Em essência, não quer sair da infância emocional.

Há muitos marmanjos crescidos por aí brigando com suas vontades imperativas de crianças mal-acostumadas a comer só o que gostam, acordar na hora que quiserem e conviver com puxa-sacos que idolatram seus resultados medíocres. Vivem sem contrariedades em berço esplêndido.

O escritor Rubem Alves bem definiu a personalidade humana, dizendo que ela mais parece uma pensão. Consenso interno nunca existirá em um lugar assim.

Entre o querer e a concretização existem alguns anos de prática em negociação interna confrontada com uma realidade que não barganha com pequenos príncipes.

Esses imperadores sem reino vão passar a vida inteira querendo, querendo, querendo, mas não conseguindo nada, iludidos, dançando em uma festa imaginária ao som de uma música que só toca na cabeça deles.

~ Frederico Mattos para o Papo de Homem.

“Basta se esforçar que você chega lá”

Sem dedos apontados aqui, eu mesmo expresso falas que são pura cegueira e falta de empatia.

A verdade é que, se você não tem algum parâmetro para fazer uma comparação mais acurada, acaba achando que a sua vida é o padrão, ou que o que você possui, a forma como é impulsionado pelas pessoas, como é aceito ou rejeitado nos grupos sociais, é apenas fruto de talento e esforço.

Afinal, se você conseguiu, todo mundo consegue, não?

Depende. Essa é uma discussão longa e repleta de lados. Há os que dizem que sim e há quem diga que não, cada um com seu argumento.

Longe de mim querer definir o certo e o errado, mas aqui temos algo que talvez possa aumentar o contraste sobre as nuances dessa questão.

Essa tirinha é do ilustrador australiano Toby Morris e foi traduzida pelo catavento*.

01-pt 02-pt 03-pt 04-pt

Boas histórias têm uma qualidade fantástica: elas baixam nossas defesas e simplesmente colocam as coisas na nossa frente de tal forma que é como se tivessem sido injetadas direto na veia.

Sempre que vejo um filme, livro, música ou qualquer outra forma de arte capaz de nos fazer pensar em uma situação que não está clara, fico maravilhado, me dá uma invejinha.

Algo assim acontece com essa tirinha. Ela expressa de uma maneira bem forte de que forma diferentes oportunidades podem impactar sobre o que cada um espera da vida.

~ Luciano Ribeiro para o Papo de Homem.

O mundo está ficando melhor?

smiley-face-balloon-1728x810_28625

A imprensa – e os seres humanos em geral – têm um viés forte baseado na negatividade. Notícias econômicas ruins ficam mais tempo na cobertura de um (tele)jornal do que uma boa notícia. As experiências negativas afetam as pessoas por mais e por mais tempo, do que as positivas! Portanto, é natural que situações atípicas como a incursão da Rússia na Ucrânia, ou a ascensão do terrorismo, ou o surto de Ebola, chamarem mais a nossa atenção do que, digamos, o fato de que a extrema pobreza caiu pela metade desde 1990, ou de que a expectativa de vida está aumentando, especialmente em países mais pobres. Mas vale a pena dar um pouco de atenção para esses últimos fatores. O mundo está ficando muito, muito melhor em toda uma variedade de dimensões. E aqui estão apenas alguns exemplos:

A pobreza extrema caiu!

Este é provavelmente o quadro mais importante nesta lista. A taxa extraordinária de crescimento econômico na Índia e na China – bem como o crescimento mais lento, mas ainda significativo em outros países em desenvolvimento – levou a um grande declínio na parcela da população mundial que vive com menos de US$ 1,25 por dia, a parcela de 52% da população 1981, caiu para 43% em 1990, e para 21% em 2010! Os índices ainda são altos, e mesmo assim, alguns especialistas em desenvolvimento estão argumentando que esse limite deveria ser aumentado para US$ 10-15 por dia, mas o que muito se debate é um sinal do enorme progresso feito nas últimas décadas.

A fome está diminuindo…

O mapa abaixo mostra o Índice Global da Fome – uma medida de desnutrição calculada pelo Instituto de Pesquisa de Política Alimentar Internacional – na maior parte dos países do mundo entre 1990 e 2014. O vermelho e o laranja demonstram países que possuem altos níveis de fome e desnutrição, enquanto os verdes têm taxas mais baixas. É encorajador ver o mundo gradualmente se tornar menos vermelho e mais verde ao longo dos últimos 24 anos.

decline_global_hunger_gif.0

…e o trabalho infantil também!

Qualquer quantidade de trabalho infantil é demais para o trabalho infantil, e o ritmo em que ele está sendo reduzido não é rápido o suficiente para atender a meta de eliminar o trabalho infantil projetado pela Organização Internacional do Trabalho para o ano de 2016. Mas a taxa de declínio – reduzida em 1/3 entre 2000 e 2012 – não é trivial e merece ser comemorada.

A expectativa de vida aumentou.

A nível mundial, a expectativa de vida tanto para o sexo masculino quanto para o feminino, aumentou em seis anos de 1990 a 2012, mas os ganhos foram maiores em países de baixa renda, que percebram um aumento de cerca de nove anos para homens e mulheres. Ainda há uma desigualdade substancial entre países ricos e pobres; a expectativa de vida masculina é 16 anos mais elevada nos países de renda alta em comparação com as de baixa renda, e expectativa de vida feminina é 20 anos superior. Mas a diferença está lentamente se igualando.

A mortalidade infantil está decaindo.

A mortalidade infantil caiu quase pela metade desde 1990. Se você olhar para as regiões em desenvolvimento, os ganhos são ainda mais impressionantes. No leste da Ásia, América Latina, e no norte da África, a taxa de mortalidade de menores de cinco caíram mais de 2/3 no mesmo período, enquanto na África subsaariana caiu em 48%.

mortalityrate.0

A morte durante o parto é cada vez mais rara.

A mortalidade materna diminuiu 45% segundo a Organização Mundial de Saúde. E a queda têm sido especialmente dramática nos países africanos.

As pessoas estão ficando mais altas!!!

Este gráfico, retirado de uma pesquisa realizada por Gregory Clark, acompanha a altura dos esqueletos masculinos encontrados na Europa através de quase 2000 anos, e compara esses pontos de dados com as informações mais recentes. Por quase dois milênios, as alturas do sexo masculino permaneceram estáveis, mas com o advento da Revolução Industrial, elas começaram a subir abruptamente. Há muitos fatores determinantes para este aumento, mas padrões de nutrição e de vida em geral são os mais cruciais.

male-heights-from-skeletons-in-europe-1-2000-clark-645x403.0

Fumantes estão em baixa também!

De acordo com a Gallup (empresa de pesquisa de opinião dos Estados Unidos), após as Guerras Mundiais, uma grande maioria da população americana sempre foi fumante. Mesmo assim, já percorremos um longo caminho desde 1955, e enquanto naquela época 45% dos norte-americanos consumiam em média um maço de cigarros por semana, atualmente, esse percentual não é maior do que 21%.

As guerras estão em declínio.

Um século após o início da Primeira Guerra Mundial, pode ser difícil para as pessoas acreditarem que a guerra está em declínio. Mas, a longo prazo, as mortes por violência política organizada estão caindo, como enfatiza o psicólogo canadense Steven Pinker: “a taxa de mortes diretas e documentadas de violência política (guerra, terrorismo, genocídio e milícias locais) na última década é de apenas alguns centésimos de ponto percentual, uma número sem precedentes”.

E não é apenas Pinker quem faz tal afirmação, analistas como: John Mueller, Joshua Goldstein e John Horgan são persuasivos em dizer que o fim da guerra está próximo. “A guerra é apenas uma idéia”, escreve Mueller, “ao contrário de respirar, comer, ou fazer sexo, a guerra não é algo exigido pela condição humana, ou pelas forças da história. Assim, a guerra pode murchar e desaparecer, e esse processo parece estar à ponto de se iniciar.”

Sem título

As taxas de homicídio estão caindo por toda a parte.

Não é só a violência entre nações que está em declínio. Como a pesquisa do criminologista Manuel Eisner mostra, o homicídio em países europeus tem diminuído ao longo dos séculos. Eisner estima que no ano de 1200 e 1300, a Europa tinha uma taxa média de homicídios de cerca de 32 por 100.000 habitantes. Nos anos 1900, essa taxa havia caído para cerca de 1,4 para cada 100.000.

Nós reduzimos drasticamente a fabricação de armas nucleares.

Os estoques de armas nucleares mundial atingiu o pico em 1986 (+69,000 ogivas atômicas), e desde então o que se tem visto é um declínio acentuado dos americanos e russos neste tipo de armamento. Houveram alguns lapsos no regime de não-proliferação internacional, com o Paquistão e Coréia do Norte desenvolvendo armas, mas a África do Sul e as pós-URSS Belarus, Cazaquistão e Ucrânia desistiram voluntariamente deste aparato militar. Ponto pra eles!

Mais e mais países hoje são democracias!

Na década de 70, autocracias mantinham uma desvantagem sobre as democracias por uma margem considerável. Países do bloco soviético foram uniformemente ditatoriais, e os Estados Unidos pós-Guerra Fria não fizeram promoção da democracia uma prioridade, aliando-se com uma série de ditaduras brutais, como a Coréia do Sul, Chile e Grécia. Mas, depois da queda do Muro de Berlim, as ditaduras comunistas praticamente desapareceram, e muitos ditaduras em países europeus orientais foram substituídos por sistemas democráticos. Governos militares apoiados pelos Estados Unidos na América Latina perderam o poder, e uma série de ditadores africanos caiu. O resultado foi que, em 2013, a média de pontuação mundial da Polity IV Score – uma medida utilizada pelos cientistas políticos para rastrear a prevalência da democracia – foi maior do que jamais foi.

slack-imgs.0

Mais pessoas estão ficando na escola por um período maior de tempo…

Nós ainda temos muito o que fazer para melhorar o acesso à educação, mas, mesmo em países como a China e Índia, que estão em desenvolvimento, a média de anos de escolaridade (padronizado aqui como o ensino fundamental e médio”) têm vindo a crescer rapidamente.

…e a alfabetização se deu muito bem com tudo isso.

O aumento do acesso à educação tem, sem surpresa, relação com o aumento da alfabetização. Um grande progresso foi feito também por se reduzir as diferenças raciais na alfabetização. Em 1870, 80% dos afro-americanos com idades entre 14 anos ou mais eram analfabetos, e em 1950 esse número caiu para apenas 11%. Por volta de 1979, de acordo com dados do Centro Nacional de Estatísticas da Educação, a taxa mundial de analfabetismo caiu para 1,6%!

A Lei de Moore ainda está em curso.

A Lei de Moore – a observação empírica, idealizada pela presidente da Intel, Gordon Moore, de que o número de transistores em um chip dobrariam aproximadamente a cada dois anos – tem alimentado o crescimento extraordinário do poder da computação ao longo do último meio século. E, embora alguns analistas argumentem que o progresso será lento na próxima década (ou que ele já é), as últimas décadas de progresso exponencial foram extraordinárias, e, mesmo que a tendência não continue, otimistas do setor argumentam que ela pode.

1139px-Transistor_Count_and_Moore_27s_Law_-_2011.svg.0

O acesso à internet está aumentando.

Neste ponto, o uso da internet é bastante universal em países desenvolvidos – que ocorreram muito, mas muito rapidamente – e enquanto ela é menos prevalecente nos países em desenvolvimento e no mundo em geral, as linhas de tendência estão indo na direção certa.

E a energia solar está ficando mais barata.

A mudança climática é uma grande área onde nós não estamos fazendo progresso, e as coisas estão ficando consideravelmente ruins. Não vamos “tapar o Sol com peneira”. Mas um ponto positivo é a diminuição do preço da energia solar, o que está alimentando a um rápido aumento na adoção deste tipo de tecnologia. O preço se divide entre os painéis solares (módulos fotovoltaicos utilizaods para gerar eletricidade) e os custos do “sistema”, que o engenheiro Brad Plumer explica como “todos os pequenos passos ao longo da cadeia produtiva da fábrica até quando ele é colocado no seu telhado”. Este último está ficando mais barato, ajudando a alimentar todo o processo.

Abaixo, um vídeo em inglês com toda a matéria:


↬ Tradução livre do Vox, indicação da Fuck*** Homepage.